sábado, 6 de abril de 2013

Right away, great captain


Right away, great captain

inerte
resignado
ao dissabor das intemperies
ao vagar languido das correntes
me entrego ao ocaso

nau a deriva
sem uma restia de valentia
da fé que impulsiona
ao mar desconhecido
e não mais que ressentido,
a fortuna me direciona

consumi as forças de outrora
da juventude, da aurora
de meus dias
domando mares bravios
desbravando terras insolitas
perseguindo sonhos e fantasias

mas eis que ergo a face
e encaro a tempestade
pelo primeiro momento
e embora diste no firmamento,
firmo os pés no convés
agarro com mais força o timão
e busco nas reservas
obtusas da alma
a derradeira motivação
a qual a iminente precipitação
por mais pungente
não será fácil dobrar


[essa é  a minha mais recente. o título faz referência ao pseudônimo do artista Andy Hull, do qual gosto muito, e casou bem com a temática. espero que gostem, é a minha primeira tentativa de escrever em estilo livre]